COVID-19: A separação que nos une

Vivemos num mundo sem fronteiras, com acesso irrestrito à informação. Com uma tela de 7 polegadas, matamos a saudade de amigos e familiares distantes. Mas, quem imaginaria que 2020 seria marcado pela pandemia do COVID-19?

E, curiosamente, não falamos aqui de um vírus de computador. O ano que marca o início desta nova década chegou nos mostrando que, acima de quaisquer tecnologias, somos vulneráveis. Nossa preocupação, agora, não é com o roubo de dados importantes, mas sim com roubo de nossa vida e das de nossos entes queridos.

Com tanta tecnologia, facilidade e informação, ninguém imaginaria que o melhor seria ficar em casa. É isso mesmo: o melhor é se isolar e evitar o contato físico. Enquanto uns se sentem confinados dentro de sua própria casa, outros enxergam seu lar como o melhor refúgio.

Neste momento, a separação nos une. Irônico, não?! Estamos todos unidos, cada qual no seu espaço, contra a disseminação do COVID-19! No entanto, o mundo não pode parar. Quer dizer, não pode parar integralmente. O que seria de nós agora, afinal, sem os profissionais da Saúde, de Facilities, de T.I.? São profissionais que precisam de expor ao caos já instaurado.

O que devemos aprender com a pandemia de covid-19?

Espero que aprendamos, com isso tudo, a valorizar os profissionais de limpeza. Hoje, eles são mais importantes do que nunca. E, claro, mais importantes do que CEOs. Também torço para que passemos a valorizar todos aqueles que trabalham remotamente.

Eu, enquanto profissional de facilities, me sinto honrado por participar desse grupo de profissionais. E, mais do que isso, estou sempre pronto para servir.

A tormenta vai passar. Mas, as lições aprendidas não podem ser esquecidas e ignoradas. Devemos nos manter atentos às tantas epidemias que, normalmente, são ignoradas por nós: dengue, chikungunya, febre amarela…

Quanto à economia, que está sendo devastada, nós recuperaremos como sempre fizemos. Mas aqueles que se foram… se foram para sempre!

Comentar com o Facebook

Share This